Comunicações em que participa:

    • 14:30-15:30Auditório

      VI. A Transição Laboral: a Precariedade dos Eternamente Jovens

      O emprego no acesso, manutenção e progressão tem sido um dos principais problemas dos jovens. O sistema de qualificações não está ligado a uma estratégia de formação de quadros de acordo com as necessidades levantadas para os próximos anos (Plano estratégico Nacional). A coesão social e territorial não está assente em políticas de emprego jovem. A precariedade dificulta a entrada na vida adulta e a constituição de laços duradouros de família com as responsabilidades inerentes. A introdução no emprego público de uma mentalidade IKEA, em que tudo é barato e provisório, debilitou o exercício de funções públicas, fragilizou as estruturas da administração Pública do Estado, nomeadamente na prestação de serviços essenciais na construção de uma sociedade mais justa e integrada. É preciso fazer uma reforma do Estado em que se dê segurança e progressão no emprego sem cair em habituação e comodismos. A legislação laboral tem favorecido situações de precariedade no sector privado, cooperativo e social.